segunda-feira, 20 de junho de 2016

Em tese de doutorado, pesquisadora denuncia farsa da crise da Previdência Social no Brasil forjada pelo governo com apoio da imprensa

• Por Coryntho Baldez em 18 de janeiro de 2016

Com argumentos insofismáveis, Denise Gentil destroça os mitos oficiais que encobrem a realidade da Previdência Social no Brasil. Em primeiro lugar, uma gigantesca farsa contábil transforma em déficit o superávit do sistema previdenciário, que atingiu a cifra de R$ 1,2 bilhões em 2006, segundo a economista.

O superávit da Seguridade Social – que abrange a Saúde, a Assistência Social e a Previdência – foi significativamente maior: R$ 72,2 bilhões. No entanto, boa parte desse excedente vem sendo desviada para cobrir outras despesas, especialmente de ordem financeira – condena a professora e pesquisadora do Instituto de Economia da UFRJ, pelo qual concluiu sua tese de doutorado “A falsa crise da Seguridade Social no Brasil: uma análise financeira do período 1990 – 2005″.

Nesta entrevista ao Jornal da UFRJ, ela ainda explica >>>

Também existe o autoritarismo médico: CURA DO LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO. CURA DA ARTRITE REUMATÓIDE. CURA DA SÍNDROME DE SJOGREN, O CASO MINHA ESPOSA!

Depoimento de Escobar

IMPORTANTE: AVISO LEGAL:
Não estou aqui para criar polemica, apenas para dividir meu caso, com quem quiser acreditar...
Pois não tenho nenhum tipo de publicidade no blog, Não sou Médico, Não vendo nada, não indico e nem contra indico nada, Não afirmo que é a cura do Lupus, Artrite ou sjogren para todos, apenas digo que foi a cura do Lupus, Artrite, Sjogren para minha esposa, no caso dela. Não indico NADA!  é apenas um blog para troca de informações e apoio entre os pacientes. Se você tem algum problema de saúde procure um Médico contra o uso abusivo e indiscriminado de drogas, eles são raros mais existem!
Médico contra o uso abusivo de Drogas, e que faça uma investigação profunda, antes de receitar drogas com potencial de gerar sequelas irreversíveis, muitas vezes piores que a doença! ou em muitos casos com diagnostico errado! Tem muita coisa mau contada nessa doença em minha opinião! e essa doença movimenta muita grana, de laboratórios, médicos e profissionais de saúde.
passou de uma doença rara para um número assustador de casos nos últimos anos, não tenho nenhuma intenção de aparecer por isso atendo por pseudônimo.

IMPORTANTE:  
MINHA ESPOSA NUNCA FEZ E NEM FAZ TRATAMENTO ALTERNATIVO! O QUE MINHA ESPOSA FEZ, FOI UMA INVESTIGAÇÃO PROFUNDA DO QUE ESTAVA CAUSANDO O PROCESSO DE AUTO AGRESSÃO, DOENÇA E O QUADRO INFLAMATÓRIO, TRATOU A CAUSA DO PROBLEMA, AO EM VEZ DE FICAR TRATANDO SÓ O SINTOMAS, COM USO ABUSIVO E INDISCRIMINADO DE DROGAS COM EFEITOS DELETÉRIOS E MORTAIS! QUE AINDA POR SIMA NÃO CURAM NINGUÉM! TRATAR SÓ OS SINTOMAS COM DROGAS MORTAIS ISSO SIM QUE É ALTERNATIVO! POIS ALTERNATIVO SIGNIFICA TRATAMENTO SEM COMPROVAÇÃO CIENTIFICA! E TUDO QUE MINHA ESPOSA FEZ E FAZ, TEM SIM COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA, NUTROLOGIA, BIOQUÍMICA, IMUNOLOGIA, CITO INCLUSIVE VÁRIOS TRABALHOS CIENTÍFICOS, COM FONTES EM PORTUGUÊS, FRANCES, ESPANHOL, ALEMÃO E RUSSO.  INCLUSIVE VIDEOS DE AULAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM MEDICINA, COM DOUTORES DAS MAIS RENOMADAS FACULDADES DO MUNDO: Harvard University, Thomas Jefferson University, ENTRE OUTRAS!
Fruto de 10.000 HORAS DE LEITURA ATÉ A CRIAÇÃO DO BLOG, E HOJE JÁ TENHO 18.000 HORAS DE LEITURA. MAIS ISSO NÃO TEM NENHUM VALOR, POIS O IMPORTANTE É QUE MINHA ESPOSA SE CUROU TOTALMENTE EM 2 ANOS DESTE TRATAMENTO.

Não fico expondo minha vida pessoal ou fotos minhas e de Catarina neste blog, pois aqui não é o face book, apenas relato algo terrível que passei em minha vida, que teve um final feliz para mim e minha esposa, e divido essa experiência com quem quiser acreditar, até porque não ganho nada com isso, apenas a consciência tranquila de que contei como foi esse tratamento em nossas vidas.
Não quero que ninguém faça nada igual ou se espelhe em mim, porem me sinto na obrigação de dividir tudo que passei, até por que no caso da minha esposa ela ficou totalmente curada!

  curassecretas@gmail.com

INÍCIO

Descrevo a história de como minha esposa passou de paciente terminal de Lupus, Artrite Reumatoide e síndrome de Sjogren a uma pessoa totalmente CURADA, sem sintomas, e sem a necessidade de DRÓGAS, hoje a mais de 5 anos e meio.
.
 Desculpe a demora nas respostas dos e-mails, pode ligar que fico a disposição.
MEUS CONTATOS
E-mail: curassecretas@gmail.com

RESUMO:
Minha esposa durante 2 anos e 8 meses, foi paciente terminal de Lupus Eritematoso Sistêmico, Artrite Reumatoide, Síndrome de Sjogren, a chamada doença Mista do Tecido Conjuntivo. Ela foi desenganada por 148 Médicos Reumatologistas, Mestres e professores das maiores faculdades de SP, RJ e EUA. Ficou na cadeira de rodas a beira da morte, tomando todos os remédios possíveis e imagináveis da Medicina da Escola Americana EUA, (Cortisona, cloroquina, MTX etc.). E só piorava, clinicamente e laboratorialmente, Tudo isso somado aos efeitos colaterais terríveis e irreversíveis destas drogas.

 Quando ela estava praticamente inválida, demonstrou vontade de seguir uma nova linha de tratamento, tentando nutrir seu corpo com uma alimentação mais adequada, com o consumo de frutas, eliminação de gorduras saturadas, e dos alimentos proibidos, chamados de pro inflamatórios, que são fontes de energia para os processos inflamatórios no organismo.
Em minha opinião, na medicina atual existem duas correntes de médicos, os médicos que receitam altas doses de drogas sem medir as consequências dos efeitos colaterais, e os médicos contra o uso ABUSIVO E INDISCRIMINADO de drogas como Cortisona, Médicos que tratam às possíveis causas dos problemas, para só utilizar essas drogas em ultimo caso, se assim for necessário.

Passei por 148 Médicos diferentes que muitas vezes vendo pouquíssimos exames  receitavam logo de inicio, grandes doses de cortisona, eu agradecia e procurava outro Médico, até encontrar o nosso atual Reumatologista que resolveu investigar a fundo para checar o diagnostico, e testar alergias alimentares, e a melhora foi tão grande no caso de Catarina que foi possível tirar gradativamente todas as drogas, e iniciou o seguinte tratamento:

CASO 100% REAL (VEJA VÍDEO E INFORMAÇÕES COMPLETAS NO LINK ABAIXO:

Link: http://curassecretas.blogspot.com.br/2010/06/depoimento-de-cura-do-lupus-e-artrite.html


quinta-feira, 16 de junho de 2016

terça-feira, 14 de junho de 2016

RELEMBRANDO: “Criei um monstro” - Do ex-procurador-geral da República Sepúlveda Pertence

Política -  Mauricio Dias— publicado 22/12/2012 09h09, última modificação 22/12/2012 09h09

Foi lançado, recentemente, pelos procuradores paulistas um abaixo-assinado contra a Proposta de Emenda Constitucional que põe em jogo o poder de investigação criminal do Ministério Público.  É apelidada de “PEC da Impunidade”. A referência é, certamente, uma tentativa de ganhar popularidade em decorrência do julgamento do chamado “mensalão” petista.
Há, no entanto, uma discussão na sociedade em sentido contrário ao que essa PEC da Impunidade busca: manter o direito de o MP investigar. O debate vem de longe e é guiado por uma frase lançada pelo advogado Sepúlveda Pertence, quando se despediu da função de procurador-geral da República (no governo Sarney): “Eu não sou o Golbery, mas também criei um monstro”.
Golbery do Couto e Silva, general articulador do golpe de 1964, foi o idealizador e o primeiro chefe do Serviço Nacional de Informações (SNI), que ganhou vida própria e, posteriormente, engoliria o próprio criador por ocasião das bombas do Riocentro em 1981. Golbery pediu a cabeça do general Gentil Marcondes, comandante da Vila Militar de onde haviam saído os terroristas fardados. O general Octávio Medeiros, então chefe do SNI, se opôs com o apoio do ditador Figueiredo. A demissão de Golbery não tardaria.
Pertence, afastado do Ministério Público, também foi engolido pelo “monstro” criado por Golbery e expurgado >>>

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Precisamos falar sobre a vaidade na vida acadêmica

OPINIÃO
por Rosana Pinheiro-Machado — publicado 24/02/2016 03h37, última modificação 24/02/2016 12h17

Combater o mito da genialidade, a perversidade dos pequenos poderes e os "donos de Foucault" é fundamental para termos uma universidade melhor

A vaidade intelectual marca a vida acadêmica. Por trás do ego inflado, há uma máquina nefasta, marcada por brigas de núcleos, seitas, grosserias, humilhações, assédios, concursos e seleções fraudulentas. Mas em que medida nós mesmos não estamos perpetuando esse modus operandi para sobreviver no sistema? Poderíamos começar esse exercício auto reflexivo nos perguntando: estamos dividindo nossos colegas entre os “fracos” (ou os medíocres) e os “fodas” (“o cara é bom”).

As fronteiras entre fracos e 'fodas' começam nas bolsas de iniciação científica da graduação. No novo status de bolsista, o aluno começa a mudar a sua linguagem. Sem discernimento, brigas de orientadores são reproduzidas. Há brigas de todos os tipos: pessoais (aquele casal que se pegava nos anos 1970 e até hoje briga nos corredores), teóricas (marxistas para cá; weberianos para lá) e disciplinares (antropólogos que acham sociólogos rasos generalistas, na mesma proporção em que sociólogos acham antropólogos bichos estranhos que falam de si mesmos).

A entrada no mestrado, no doutorado e a volta do doutorado sanduíches vão demarcando novos status, o que se alia a uma fase da vida em que mudar o mundo já não é tão importante quanto>>>

Burocracia judicial em causa própria: Jornalistas que divulgaram salários de magistrados são alvos de ações

07/06/2016 19h30 - Atualizado em 07/06/2016 20h00

Profissionais da Gazeta do Povo foram processados 37 vezes. Magistrados e promotores receberam acima do teto constitucional em 2015.


Associações que representam jornais e o Sindicato dos Jornalistas do Paraná criticaram nesta terça-feira (7) a reação de magistrados e promotores que entraram com dezenas de ações contra profissionais do jornal Gazeta do Povo. As ações foram propostas depois que o jornal publicou uma série de reportagens que mostravam os salários acima do teto constitucional pagos pelo Tribunal de Justiça (TJ) e pelo Ministério Público do Paraná (MP).
As reportagens que motivaram as ações judiciais foram publicadas pela Gazeta do Povo em fevereiro e analisaram dados encontrados nos portais da transparência do MP e do TJ.
Por conta das reportagens, três repórteres, um analista de sistemas e o responsável pelo visual gráfico das matérias viraram réus em 36 ações em juizados especiais, e também uma ação na Justiça comum – todas elas movidas por juízes e promotores que se dizem ofendidos com o que foi publicado.
Nas ações nos juizados especiais, os profissionais do jornal são obrigados por lei a comparecer às audiências. Eles já estiveram em 19 delas nos últimos>>

terça-feira, 7 de junho de 2016

Vianna: Democracia foi sequestrada pelo consórcio Mídia-MP

7 DE JUNHO DE 2016 ÀS 12:46

Por Rodrigo Vianna, na Fórum

Está claro há muito tempo que o processo em curso no Brasil não é apenas um ataque ao PT, ou ao que se convencionou chamar de lulismo. É um ataque ao sistema político estabelecido pelo pacto da Constituição de 88; e, talvez, chegue a ser também um ataque à ideia de Estado Nacional – que se constrói desde a Era Vargas.
O pedido de prisão de Sarney, Renan e Jucá (que repousa na mesa de Teori, no STF) mostra que o sistema político desmoronou.
Em 64, Lacerda achava que, demolindo o trabalhismo e derrubando Jango com apoio dos militares, herdaria o poder. Acabou cassado e a UDN foi extinta da mesma forma que o PTB.
Um advogado, fonte deste blogueiro e que atua na Lava-Jato, dizia já em 2015: “o PSDB, o Aécio e o PMDB terão o mesmo fim de Lacerda; não percebem que a Lava-Jato ataca hoje o PT, mas que o passo seguinte será a destruição>>>

sábado, 4 de junho de 2016

ELITISMO UNIVERSITÁRIO: DESSERVIÇO PARA A SOCIEDADE

OPINIÃO

A mais recente iniciativa dos estudantes da UnB nas redes sociais, denunciando as práticas elitistas dos professores universitários e da própria universidade no dia a dia do curso de Relações Internacionais é um poderoso sintoma do tipo de pais que estivemos construindo, enquanto a questão dos direitos humanos e do meio ambiente, entre outros, ocuparam o pódio do que podemos denominar de pensamento crítico social. Na calada da noite, encoberto pela retórica dos discursos acadêmicos e dos conhecimentos científicos de pobres resultados, grassou e ainda grassa a pequenez da arrogância e da prepotência cega, que impossibilita o desenvolvimento de um modelo universitário capaz de servir à sociedade que à sustenta.
Enquanto na sociedade chegou-se ao extremo das Audiências de Custódia, onde o juiz foca a sua observação dos fatos investigando se a abordagem policial foi adequada na prisão do cidadão – necessária, mas excessivamente maculada pelo entendimento de que somente as forças policiais cometem abusos contra os direitos humanos, no ensino universitário (apenas como exemplo) a cidadania – um dos pilares da República e do estado democrático de direito -, é destratada, desconsiderada e perseguida pelas prepotências imexíveis da arrogância acadêmica. Então não haveremos de combater o assédio moral e sexual>>>

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Universidade nega título a Moro: currículo tem uma página!

"Agente judicial treinado pelos Estados Unidos"!!!

publicado 01/06/2016

Reitoria da UEM não concede o título de Doutor honoris causa a Sérgio Moro
O reitor Mauro Luciano Baesso decidiu não conceder o titulo de Doutor honoris causa ao juiz Sérgio Moro, depois que um grupo de docentes e funcionários da Universidade Estadual de Maringá (UEM) solicitou sua invalidação. Dois documentos foram produzidos, e um deles protocolado, elencando varias considerações para a anulação do título.
Entre elas, o currículo Lattes do juiz  maringaense com apenas uma página e com um parco conhecimento em língua estrangeira, além de uma graduação desconhecida e não >>>

Velha notícia mostra Sérgio Moro Cidadão Comum


Justiça obriga juiz a escolher entre STF e magistério


25 de julho de 2012, 6h06
Por Pedro Canário

Para qualquer juiz, ser nomeado assessor de gabinete de um ministro do Supremo Tribunal Federal é uma grande honra, mas pode atrapalhar. Atrapalhou, por exemplo, as atividades acadêmicas do juiz federal Sérgio Fernando Moro, da 2ª Vara Federal Criminal de Curitiba. No início do ano, ele foi designado assessor da ministra Rosa Maria Weber, o que o levou a brigar com a Universidade Federal do Paraná e levar o caso à Justiça Federal da 4ª Região.
Moro é professor de Processo Penal da Faculdade de Direito da UFPR e tem contrato que o obriga a trabalhar 20 horas por semana e ministrar pelo menos oito horas-aula semanais. Inicialmente, o juiz fora requisitado para trabalhar no STF duante o primeiro semestre de 2012. Conseguiu trocar, informalmente, os horários com outros professores da faculdade e se comprometeu a repor as aulas não dadas em sábados no segundo semestre.
Só que o desempenho de Moro como assessor o fez ser requisitado por mais seis meses, até o fim deste ano. Foi aí que começou a briga. Como precisa passar a semana em Brasília, o juiz pediu à Faculdade de Direito da UFPR que o liberasse por mais seis meses, se comprometendo a dar três aulas ininterruptas às sextas-feiras — quando a corte permite folga.
O pedido foi indeferido pelo Departamento de Direito Penal e Processo Penal. Moro recorreu, então, à administração da faculdade, e ouviu outro “não”. O colégio de professores disse que a proposta de Moro agride >>>