domingo, 11 de dezembro de 2016

Xadrez dos interesses ocultos nas operações das Forças Tarefas

TER, 22/11/2016 - 21:08
ATUALIZADO EM 30/11/2016 - 11:19

Por LUÍS NASSIF

A reportagem abaixo é fruto da pesquisa coletiva dos comentaristas do GGN 

Peça 0 – a título de prefácio
Adapto o exemplo abaixo de um modelo de Júlio Sameiro, visando aplicar os chamados princípios de Kant (http://migre.me/vynAu)

Um procurador descobre um malfeito de uma autoridade.

Quais as três decisões possíveis?

a)Não fez nada, porque a autoridade, além de muito influente, era do seu time.

b)Apurou rigorosamente o crime para ganhar reputação ou por outras formas de interesse.

c)Apurou o crime pelo fato de ser sua função apurar crimes.

Das três opções, a única moralmente legítima é a C. E é a menos utilizada pelo Ministério Público Federal, desde que passou a disputar o protagonismo político e a se envolver em pactos de sangue com a velha mídia.

Na A, ele segue seus interesses pessoais, no caso ligados aos grupos de interesses blindados. É o caso da inação do Procurador Geral da República (PGR) e da Lava Jato com políticos do PSDB.

Na B, ele apura rigorosamente, mas obedecendo a propósitos partidários (eliminar o PT), ou então para atender >>>

sábado, 3 de dezembro de 2016

ESPETÁCULOS, CONVICÇÕES E EXCEPCIONALIDADES SÃO EVIDÊNCIAS DE ABUSO DE AUTORIDADE

Na audiência promovida pelo Senado Federal no dia 01/12/2016 para debater a Lei de Abuso de Autoridade, alguns senadores, como Álvaro Dias (PV/PR), endossaram a opinião do Juiz Sérgio Moro de que esse não seria o momento para aprovar uma Lei de Abuso de Autoridade, porque o Senado poderia passar uma ideia "errada" para a sociedade, face à operação Lava Jato e outras operações em andamento. Afirmou o senador Álvaro que esse momento é de "tensão", portanto não apropriado.

De Sérgio Moro discordou o ministro do STF e presidente do TSE, Gilmar Mendes, para quem "quanto mais operações forem feitas, mais necessária é a aprovação de legislação para coibir abusos". Ainda elogiou os deputados por não terem aprovado, nas 10 Medidas Contra a Corrupção propostas pelo Ministério Publico, aberrações como o fim do habeas corpus, a validação de provas ilícitas e o teste de integridade. "Não vamos abrir uma investigação para saber quem são os responsáveis por essas propostas, mas aqui ha uma clara intenção de estabelecer o autoritarismo", resumiu ele.

Particularmente, a opinião do senador Álvaro Dias desconsidera o fato de que todas as Constituições, em todas as épocas, foram debatidas em momentos de crise. Momentos >>>

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O SONHO AUTORITÁRIO DOS VINTE E CINCO VOTOS DO PV, PSOL REDE, PMB, PPS E PROS

Alguns desses partidos surgidos de profundas críticas ao partido dos trabalhadores, pela incapacidade de absorver a onda verde (PV); por divergências locais, regionais ou de estratégicas econômicas e políticas (PSOL e Rede); nascidos por interesses segmentados (PMB e PROS) ou por uma trajetória histórica de convivência umbilical com o poder (PPS), a votação das 10 Medidas contra a Corrupção propostas por procuradores do Ministério Público para estender o seu reinado até os confins do mundo, revelou o viés autoritário unificador dos votos desses pequenos partidos que, entre outras coisas, explica a pouca representatividade dessas legendas. Foram 25 votos fechados que corroboraram o privilégio dos procuradores do ministério público e dos membros do judiciário, que querem permanecer como cidadãos de primeiríssima qualidade - acima de qualquer suspeita, acima do bem e do mal e livres de responderem por seus abusos.

Quem acompanha a atuação desses partidos na Câmara dos Deputados e no Senado reconhece a superioridade de suas argumentações, acima de qualquer suspeita. O que não se esperava é que essa insuspeição, que os une, fosse fruto de uma concepção de Estado autoritário, submisso aos tecnoburocratas dos órgãos de controle e do judiciário intocável. A exceção foram os votos dos deputados baianos Uldurico Junior (PV) e Arthur Oliveira Maia (PPS) que certamente enfrentarão severas consequências dentro dos seus partidos, pois a ânsia autoritária que ferve pra fora também ferve pra dentro.

Francisco Morbeck
Advogado

FORÇAS TAREFAS CONSPIRAM COMO ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS? Versão Completa

Há alguns anos fazia sentido começar uma análise sobre a tensão entre poder do Estado e sociedade - ou poder do Estado e cidadão, tendo como base um princípio extraído da constituição ou de uma lei qualquer. Era mais fácil, dava segurança e dali estava aberta a possibilidade de encadeá-lo com o sentido pretendido. Não sei exatamente onde isso se perdeu, mas sei que há alguns poucos anos tem sido diferente, obrigando-nos a esquecer o mestre Rui Barbosa quando afirmou: “Eu quisera, nos meus antagonistas, se não justiça para comigo, ao menos lógica na ligação entre as suas premissas e as suas conclusões”.

Do ponto de vista da análise das práticas atuais dos órgãos fiscalizadores que, sem dúvida, devem representar interesses da sociedade, talvez essa “perdição” tenha ocorrido no momento em que seus operadores separaram a legalidade da moralidade, esta da publicidade, aquela da impessoalidade e todas da eficiência, transformando a harmonia desse conjunto em desunião de partes autônomas. Tudo isso na ânsia, inicialmente legítima, de representar o anseio social de estancar a privatização do poder público e o desvio de recursos por meio da corrupção.

Obviamente, temos que buscar a explicação para esse fenômeno, da substituição da constituição e das leis por convicções e excepcionalidades, na opção consciente dos operadores do Estado, ou seremos obrigados a admitir >>>

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

FORÇAS-TAREFAS COM SEDE AO POTE E AS LEIS QUE CHAMO DE LENDAS - Parte 4

Em março de 1998, Fernando Henrique sancionou a Lei nº 9.613/1998 - chamada Lei da Lavagem de dinheiro, que em seu art. 7º dizia “São efeitos da condenação, além dos previstos no Código Penal: I - a perda, em favor da União, dos bens, direitos e valores objeto de crime previsto nesta Lei, ressalvado o direito do lesado ou de terceiro de boa-fé”.
Até aí, tudo bem. Todo o dinheiro arrecadado do crime voltava para os cofres públicos. Muito justo.

Com base nessa Lei de 1998, certamente respondendo a questionamento de algum órgão, em decisão de 2008 o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) entendeu>>

sábado, 26 de novembro de 2016

FORÇAS TAREFAS, SÉRGIO MORO E AS LEIS QUE CHAMO DE LENDAS - Parte 3

Parte 3
Recentemente o cansado juiz Sérgio Moro, recolhido em sua residência e apoiado por sua esposa, publicou um vídeo em que lê um trecho do discurso de Theodore Roosevelt, ex-presidente dos EUA, feito em dezembro de 1905, brindando seu público com trechos de combate à corrupção, do qual extraio o mais significativa “A exposição e punição da corrupção pública é uma honra para uma nação, não uma desgraça. A vergonha reside na tolerância, não na correção”. É o que ele tem feito, disso ninguém duvida.

Mas haveremos de indagar: se a primeira transmissão da voz humana por meio de ondas de rádio só foi executada em 1906 pelo engenheiro canadense Reginald Fessenden e a televisão só começou a transmitir em março de 1935 pelos alemães em plena ascensão do nazismo, qual era o tamanho do dano dessa exposição defendida por Roosevelt? Mínima. Alguns discursos e periódicos pouco lidos, pois a quase totalidade da população americana era analfabeta, vez que as escolas públicas só começaram a ser implantadas nos Estados Unidos a partir do século XX.

Assim, sem discordar do propósito de Moro, afirmo que foge totalmente ao princípio da razoabilidade pinçar um trecho de um discurso de 1905 para justificar o massacre da exposição midiática atual de qualquer cidadão do século XXI. Hoje tal exposição é uma sentença de morte pública. Ademais, o importante discurso de Roosevelt contra a corrupção, não pode ser separado de outras partes do mesmo discurso, omitidas por Moro, que cito apenas para ilustrar:

“Não pedindo nada, a não ser que o interesse de cada um seja harmonizado com o interesse do público em geral, e que a conduta de cada um esteja em conformidade com as regras fundamentais da obediência à lei, da liberdade individual e da justiça e do tratamento justo para com todos”.
“Todo homem deve ter a garantia de sua liberdade e do seu direito de fazer o que quiser com sua propriedade ou seu trabalho, desde que não infrinja os direitos dos outros. Nenhum homem está acima da lei e nenhum homem está abaixo dela. Nem pedimos permissão a qualquer homem quando exigimos que ele a obedeça. A obediência à lei é exigida como um direito”.
“Nunca se deve esquecer que a cidadania é, para citar as palavras recentemente utilizadas pela Suprema Corte dos Estados Unidos, um "patrimônio inestimável".
“Sob nossa forma de governo toda a autoridade é investida no povo e por eles delegados àqueles que os representam em capacidade oficial”.

Moro já cometeu o erro de justificar a prática da publicidade das escutas telefônicas comparando a Lava Jato com o caso do Watergate nos EUA, sob o argumento de que a sociedade tem o direito de saber dos abusos praticados por membros do governo, mas esqueceu de dizer que a sociedade americana puniu aqueles que praticaram as escutas ilegais, inclusive provocando a renúncia do ex-presidente Richard Nixon, porque ele sabia da ilegalidade praticada pelos operadores do Estado e divulgava trechos montados das conversas.

Portanto, o oposto do que hoje faz a Lava Jato, pelo fato de que aqui não se cogita punir quem pratica a ilegalidade. Aliás, considerada tão “normal” por Moro que essa é uma das 10 Medidas Contra a Corrupção que ele defendeu em Audiência Pública na Câmara dos Deputados: reconhecer a prova ilegal realizada de boa-fé (?!). Somada a outras duas: obrigação do judiciário requisitar o parecer do MP para conceder habeas corpus e simulação (flagrante preparado) de teste de integridade dos servidores públicos pelos órgãos de controle, e podemos duvidar das verdadeiras intenções dessas medidas. Que venha Rui Barbosa em nosso socorro: "As leis que não protegem nossos adversários não podem proteger-nos".

É isso que querem dois milhões de cidadãos brasileiros que avalizaram as 10 Medidas Contra a Corrupção? Aliás, devíamos fazer como fazem os órgãos de controle: conferir as assinaturas e ligar para um bom milhar desses apoiadores para saber se eles assinaram no escuro ou são capazes de apontar duas ou três dessas propostas. Não é preciso um grande esforço intelectual, nem uma mente brilhante para juntar essas medidas com a cruzada que se realiza contra a Lei do Abuso de Autoridade para ter uma ideia de onde se quer chegar. Sim, porque as 10 medidas contra a corrupção ficarão na história como o devaneio de tentar parir o Quinto Poder (dos órgãos de controle) debaixo das barbas dos três poderes. O Quarto já é a mídia. “Eu não troco a justiça pela soberba. Eu não deixo o direito pela força. Eu não esqueço a fraternidade pela intolerância. Eu não substituo a fé pela superstição, a realidade pelo ídolo”. Salve Rui Barbosa.

Brava gente brasileira, brava República tropicana, que tem sua resistência testada por Forças-Tarefas tão reconhecidamente ilegais que nenhuma portaria, de nenhum de seus órgãos, se atreveu a publicar sua composição integral, pois não há atribuição que justifique juntar o que deve estar separado, vez que são órgãos que devem manter vigilância entre si para garantir o devido processo legal, o estado democrático de direito, a transparência e a legalidade dos atos praticados - essas lendas. Mas, como Dom Quixote, afirmando verdades que a realidade desmente, sigo para reduzir as dúvidas, pois não faltará quem queira me esclarecer, considerando o que penso como “desentendimento”. Então vejamos.

De modo simples, acessível até na internet, toda Força-Tarefa implica num objetivo pré-determinado, mas nenhuma referência a unir órgãos que se fiscalizam entre si, nem por definição nem por lenda. Porque se for investigar, é atribuição da Polícia Civil ou Federal (poder executivo). Se for promover uma ação judicial a partir da investigação – é atribuição do Ministério Público. Se for julgar, é atribuição do poder judiciário. Cada um com sua função, em regular e constante vigilância sobre o outro, para evitar abuso de autoridade, abuso de poder ou objetivos inconfessáveis não previstos nas lendas.

Desse modo, só é possível admitir a legalidade de uma Força-Tarefa quando ela é feita dentro de cada um dos órgãos: Força-Tarefa de delegados e agentes da Polícia Federal ou Civil; Força-Tarefa de promotores do Ministério Público ou Força-Tarefa de juízes, mantendo-se a independência de cada um em relação aos outros. Se juntando esses órgãos em Forças-Tarefas já podemos vislumbrar uma ilegalidade, imagine o que se pode dizer de Forças-Tarefas clandestinas, que se realizam sem qualquer procedimento legal, mas que podem promover a combinação entre os operadores dos diversos órgãos. Onde as lendas não são respeitadas a busca da verdade corre o risco de deixar de ser o motor da atividade dos operadores do Estado.

Temos o dever de preservar nossa República, que não pode ser sequestrada por operadores que “se acham”, como diz o povo. Operadores, com raras exceções, que se especializaram nas táticas para passar em concursos; defenderam teses de mestrado e doutorado no exterior sem saber falar a língua daquele país; foram aprovados em concursos de marcação de “x” e acham que são campeões olímpicos com direito à medalha de ouro e ao pódio. Pior ainda quando comprovam a superficialidade de seus conhecimentos, contratando marqueteiros políticos para orientar suas “ações isentas” ou desqualificam qualquer opinião contrária às suas convicções, como se o debate quanto ao Estado democrático de direito (de todos) fosse uma contenda entre eles (os certos) e os outros (os errados). O resultado é um espetáculo de senso comum, com o qual se sentem autorizados a negar a constituição com um regulamento debaixo do braço e a negar as lendas com uma resolução ou convicção pseudo-jurídica. 

Francisco Morbeck
Advogado


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

FORÇAS-TAREFAS E AS LEIS QUE CHAMO DE LENDAS - Parte 2

Parte 2 

Hoje, vemos exemplos da polícia declarando insatisfação pública quando o MP não aceita o resultado da investigação e vemos o MP agindo da mesma forma quando o judiciário não aceita a acusação. Vemos a imprensa defendendo pena de morte e prisão perpétua – coisas proibidas pelas lendas. Lembram crianças competindo: cada um olhando só para o seu umbigo e achando que é dono da verdade. 

Mas as lendas não são brincadeiras, porque resultam de uma espécie de acordo da sociedade para trocar a guerra >>>

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

FORÇAS TAREFAS CONSPIRAM COMO ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS?

Parte 1

Há alguns anos fazia sentido começar uma análise sobre a tensão entre poder do Estado e sociedade - ou poder do Estado e cidadão, tendo como base um princípio extraído da constituição ou de uma lei qualquer. Era mais fácil, dava segurança e dali estava aberta a possibilidade de encadeá-lo com o sentido pretendido. Não sei exatamente onde isso se perdeu, mas sei que há alguns poucos anos tem sido diferente, obrigando-nos a esquecer o mestre Rui Barbosa quando afirmou: “Eu quisera, nos meus antagonistas, se não justiça para comigo, ao menos lógica na ligação entre as suas premissas e as suas conclusões”.

Do ponto de vista da análise das práticas atuais dos órgãos fiscalizadores que, sem dúvida, devem representar interesses da sociedade, talvez essa “perdição” tenha ocorrido no momento em que seus operadores >>>

sábado, 29 de outubro de 2016

Igreja é condenada a devolver doação de fiel por 'cura do câncer'

25/10/2016

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul por meio de decisão da 9ª Câmara Cível condenou a Igreja Mundial do Poder de Deus a devolver a doação de 7 000 reais feita por um fiel idoso que diz ter sido convencido pelos pastores de que seria curado do câncer que sofria nos cultos evangélicos. Segundo decisão publicada em 18 de outubro, os valores foram corrigidos desde 2013, quando a doação foi feita, e o idoso irá receber cerca de 20 000 reais. 

Na decisão, os desembargadores relataram que o fiel "largou o tratamento médico e suspendeu a medicação acreditando na palavra dos pastores, ou seja, de que ficaria curado. Quando verificou que sua saúde estava extremamente fragilizada, percebeu ter sido ludibriado. Disse que a “lavagem cerebral” foi tamanha que somente retornou ao tratamento diante da pressão da equipe médica e de seus familiares". 

A igreja, em sua defesa, alegou que a doação foi feita por livre espontânea vontade do fiel e que não houve coação. 

A decisão foi tomada em segunda instância depois de a Vara Judicial da Comarca de Nova Petrópolis ter julgado a ação improcedente. 

Fonte: http://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/igreja-%C3%A9-condenada-a-devolver-doa%C3%A7%C3%A3o-de-fiel-por-cura-do-c%C3%A2ncer/ar-AAjkxks?ocid=spartanntp

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

QUEM FISCALIZA O MP?: Funcionário fantasma do MP recebeu R$ 23 mil por mês, diz investigação

24/10/2016 20h05 - Atualizado em 25/10/2016 08h19a


Segundo o Gaeco, homem recebeu do MP-PI, R$ 217 mil em 20 meses. Ex-procurador-geral do Ministério Público do PI foi preso por corrupção.

A investigação do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) mostrou que uma pessoa recebeu R$ 217.333,33 do Ministério Público do Piauí, sem nunca ter integrado o quadro de servidores da instituição. Segundo o Gaeco, o investigado recebeu “salários” durante 20 meses, valores que chegaram a R$ 23 mil em um único mês.

O suspeito é uma das 12 pessoas para quem o MP-PI pediu a prisão preventiva por conta da Operação IL Capo, que apura um esquema de corrupção suspostamente coordenado pelo ex-procurador-geral de Justiça do Piauí Emir Martins Filho, que teria desviado>>>

terça-feira, 25 de outubro de 2016

O ABUSO É A REGRA DOS CRIMINOSOS

Buscando refúgio no "pai dos burros", como inteligentemente assevera o povo, o dicionário Aurélio nos diz que abuso é "agir de forma a servir apenas os próprios interesses, mesmo se prejudicando outrem", portanto, desrespeitando leis, normas estabelecidas e regras de convivência. O antídoto para os que passam desses limites é o código penal, onde todos os crimes estão definidos.

Ora pois, como diriam os portugueses, não é possível imaginar nenhuma ação criminosa sem a prática do abuso. 

Quando o criminoso decide, planeja e mata, ele está impedindo o direito à vida. Claro, somos contra esse abuso do criminoso e o código penal diz claramente que os crimes contra a vida são punidos com penas>>>

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

CONSTRUÍNDO O ESTADO DE EXCEÇÃO: Ameaça à imprensa: Juíza quebra sigilo telefônico de jornalista de ÉPOCA

A medida, tomada para tentar descobrir quem vazou no governo o relatório do Coaf à revista, viola o direito constitucional do sigilo à fonte; Aner impetra habeas corpus em favor do jornalista

A juíza Pollyanna Kelly Alves, da 12ª Vara Federal de Brasília, determinou a quebra de sigilo telefônico do colunista Murilo Ramos, da revista ÉPOCA. A medida foi tomada secretamente em 17 de agosto. O jornalista não é suspeito de nenhum crime. O objetivo da grave suspensão do direito constitucional do colunista é um só: tentar descobrir a identidade >>>

sábado, 3 de setembro de 2016

Os marajás do Judiciário, protagonistas do impeachment

por André Barrocal — publicado 02/09/2016 13h25, última modificação 03/09/2016 01h09

Judiciário
Juízes e procuradores ganham fortunas, lutam por mais no Congresso e, diz sociólogo, insuflaram impeachment com 'moralismo de ocasião'

Quando estava no poder, Dilma Rousseff reuniu-se certa vez com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, para conversar sobre a crise política, mas o convidado só queria falar de aumento de salário do Judiciário. No comando do julgamento da petista no Senado, o ministro aproveitou para pedir por lá a aprovação de uma lei de reajuste para o STF.

O comportamento de Lewandowski, que pelo cargo simboliza o sistema de justiça do País, dá vida a um diagnóstico feito pelo sociólogo Jessé Souza. O Brasil, segundo ele, tem hoje um “aparelho jurídico-policial” bastante ativo na defesa de interesses corporativos. Uma casta jurídica “composta pelos verdadeiros marajás do Estado brasileiro” e peça valiosa no impeachment.

Do “complexo jurídico-policial” descrito por Souza, ex-presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e professor de ciência política da Universidade Federal Fluminense, fazem parte juízes, procuradores de Justiça e policiais federais. As duas primeiras categorias estão entre os mais altos salários pagos no serviço público e as mais caras do mundo.

O juiz Sergio Moro embolsou 651 mil reais em 2015, média>>>

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Médico condenado por imperícia é absolvido depois de 76 anos no RS

Por Jomar Martins

Um médico condenado por homicídio culposo foi absolvido depois de 76 anos pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. O 2º Grupo Criminal concluiu que o médico, denunciado por imperícia, foi vítima de erro judicial. O colegiado baseou-se no artigo 621, inciso I, do Código de Processo Penal, que permite a revisão criminal quando a sentença de condenação contraria as evidências do processo.

Condenado em agosto de 1940 a dois meses de prisão por imperícia médica, o homem nem chegou a cumprir a pena: suicidou-se com um tiro na cabeça momentos antes de ser levado de sua residência à Casa de Correção de Porto Alegre pelo delegado de polícia encarregado do caso.

Segundo o processo, o suicídio foi causado >>>

quinta-feira, 28 de julho de 2016

“Brasil se vê distante da guerra geopolítica, mas está no centro”

Economia

Entrevista - Ronaldo Fiani

Em meio à discussão sobre o pré-sal, o País ainda se baseia na oposição simplista entre alinhamento aos EUA e antiamericanismo, diz economista da UFRJ

por Carlos Drummond — publicado 25/07/2016 10h27, última modificação 25/07/2016 18h41

O Brasil estaria na iminência de entregar ao capital externo o seu patrimônio petrolífero incomum e a empresa com a melhor tecnologia do mundo para explorá-lo, acusa a oposição ao governo interino de Michel Temer.

O projeto do senador licenciado e ministro das Relações Exteriores José Serra, de eliminar a participação obrigatória da Petrobras no pré-sal, seria o começo do retrocesso, apontam vários críticos.Os problemas não terminam aí.

Falta ao País uma estratégia diante do confronto geopolítico global, no qual o acesso ou o bloqueio a fontes de energia é um elemento central, ensina o professor de Economia Ronaldo Fiani, do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Mais grave ainda: por possuir as reservas da camada do pré-sal, a tecnologia de prospecção e extração de petróleo em águas profundas e ter a China como sócia em uma área de influência dos Estados Unidos, o Brasil está na linha de impacto do>>>

O fascismo e sua imbecilidade ilógica

Hoje às 12h55 - Atualizada hoje às 12h58

Mauro Santayana

Célebre por seus estudos sobre a França de Vichy, Robert Paxton dizia que o fascismo se caracteriza por uma sucessão de cinco momentos históricos: a criação de seus movimentos; o aparelhamento do setor público; a conquista do poder legal; a conquista do Estado; e, finalmente, a radicalização dos fins e dos meios - incluída a violência política - por intermédio da guerra.

O fascismo de hoje se disfarça de “liberalismo” no plano político e de neoliberalismo no plano econômico.

Seu discurso e suas “guerras” podem ser dirigidos contra inimigos externos ou internos.

E sua verdadeira natureza não pode ser escondida>>>

quarta-feira, 13 de julho de 2016

No apocalipse, ainda restará a arte?

Literatura

Uma reflexão sobre o livro "Estação Onze" e por que precisamos da arte em momentos de ruptura e embrutecimento

por Aline Valek — publicado 13/07/2016 04h48

“Sobreviver não é o suficiente”: alguém disse isso em algum episódio da série Star Trek: Voyager, mas essa é apenas uma lembrança distante para o grupo de artistas que escolheu a frase como mote da Sinfonia Itinerante, que leva peças de Shakespeare de cidade em cidade, num mundo pós-apocalíptico em que a humanidade quase acabou por conta de uma epidemia avassaladora.

Distopias pós-apocalípticas são bons pretextos para exercícios especulativos sobre questões como: o que levaria nosso mundo a acabar? Seríamos um dos sobreviventes? Será que nos daríamos melhor com uma espada ou com um arco-e-flecha?

Porque claro, gostamos de nos imaginar como o sobrevivente do apocalipse que anda sempre armado e sabe exatamente o que fazer em situações de perigo, ainda que na vida real tenhamos dificuldade até para puxar o papel toalha do banheiro>>>

sábado, 2 de julho de 2016

Ministra do STF suspende ações contra Gazeta do Povo

Decisão paralisa processos até que STF determine quem vai julgar ações. Jornalistas são alvos de ações após divulgar remuneração de juízes.

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu as ações movidas por juízes e promotores do Paraná contra o jornal Gazeta do Povo e cinco funcionários.
A decisão paralisa todos os processos até que o Supremo determine quem vai julgar as ações: se o próprio STF ou a Justiça do Paraná. A ministra Rosa Weber já tinha negado uma reclamação feita pela Gazeta do Povo, mas reconsiderou o caso depois de uma sentença desfavorável ao jornal.
Os processos começaram quando a Gazeta do Povo publicou uma série de reportagens, com base em dados oficiais e públicos, que mostraram quanto os juízes e promotores do Paraná receberam no ano passado.
Ao todo, são 42 ações de indenização, a maioria movida por juízes, que corriam em 19 cidades do Paraná. Desde abril, cinco profissionais do jornal Gazeta do Povo tiveram que viajar mais de 9 mil quilômetros, para responder a ações praticamente idênticas em 26 audiências.
Sem saber que estava sendo gravado, um juiz afirmou, numa dessas audiências, que os jornalistas>>>

Operação Desumanidade: delegados da PF não participam e MPF vê boicote

A segunda fase da Operação Desumanidade, realizada na terça-feira (28) em Patos e região, não contou com a participação de delegados da Polícia Federal. A PF cedeu apenas agentes para ajudar procuradores da República, membros do Ministério Público da Paraíba e auditores da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE) a cumprirem mandados de prisão, condução coercitiva, buscas e apreensões expedidos pela Justiça Federal.

A ausência dos delegados federais na ação de ontem ampliou ou no mínimo causou um tremendo racha entre o Ministério Público Federal (MPF) e a PF, acusada por procuradores da República de sabotar a Operação. Por sua vez, delegados dizem que o MPF assumiu sozinho as investigações porque sempre quis ter “um braço armado pra chamar de seu”, referindo-se à equipe dos agentes policiais que trabalhou sob ordens diretas dos procuradores.

A troca de acusações entre um lado e outro tem sido intensa nos últimos dois dias nas redes sociais que delegados e procuradores frequentam. Mas toda a insatisfação>>>

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Em tese de doutorado, pesquisadora denuncia farsa da crise da Previdência Social no Brasil forjada pelo governo com apoio da imprensa

• Por Coryntho Baldez em 18 de janeiro de 2016

Com argumentos insofismáveis, Denise Gentil destroça os mitos oficiais que encobrem a realidade da Previdência Social no Brasil. Em primeiro lugar, uma gigantesca farsa contábil transforma em déficit o superávit do sistema previdenciário, que atingiu a cifra de R$ 1,2 bilhões em 2006, segundo a economista.

O superávit da Seguridade Social – que abrange a Saúde, a Assistência Social e a Previdência – foi significativamente maior: R$ 72,2 bilhões. No entanto, boa parte desse excedente vem sendo desviada para cobrir outras despesas, especialmente de ordem financeira – condena a professora e pesquisadora do Instituto de Economia da UFRJ, pelo qual concluiu sua tese de doutorado “A falsa crise da Seguridade Social no Brasil: uma análise financeira do período 1990 – 2005″.

Nesta entrevista ao Jornal da UFRJ, ela ainda explica >>>

Também existe o autoritarismo médico: CURA DO LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO. CURA DA ARTRITE REUMATÓIDE. CURA DA SÍNDROME DE SJOGREN, O CASO MINHA ESPOSA!

Depoimento de Escobar

IMPORTANTE: AVISO LEGAL:
Não estou aqui para criar polemica, apenas para dividir meu caso, com quem quiser acreditar...
Pois não tenho nenhum tipo de publicidade no blog, Não sou Médico, Não vendo nada, não indico e nem contra indico nada, Não afirmo que é a cura do Lupus, Artrite ou sjogren para todos, apenas digo que foi a cura do Lupus, Artrite, Sjogren para minha esposa, no caso dela. Não indico NADA!  é apenas um blog para troca de informações e apoio entre os pacientes. Se você tem algum problema de saúde procure um Médico contra o uso abusivo e indiscriminado de drogas, eles são raros mais existem!
Médico contra o uso abusivo de Drogas, e que faça uma investigação profunda, antes de receitar drogas com potencial de gerar sequelas irreversíveis, muitas vezes piores que a doença! ou em muitos casos com diagnostico errado! Tem muita coisa mau contada nessa doença em minha opinião! e essa doença movimenta muita grana, de laboratórios, médicos e profissionais de saúde.
passou de uma doença rara para um número assustador de casos nos últimos anos, não tenho nenhuma intenção de aparecer por isso atendo por pseudônimo.

IMPORTANTE:  
MINHA ESPOSA NUNCA FEZ E NEM FAZ TRATAMENTO ALTERNATIVO! O QUE MINHA ESPOSA FEZ, FOI UMA INVESTIGAÇÃO PROFUNDA DO QUE ESTAVA CAUSANDO O PROCESSO DE AUTO AGRESSÃO, DOENÇA E O QUADRO INFLAMATÓRIO, TRATOU A CAUSA DO PROBLEMA, AO EM VEZ DE FICAR TRATANDO SÓ O SINTOMAS, COM USO ABUSIVO E INDISCRIMINADO DE DROGAS COM EFEITOS DELETÉRIOS E MORTAIS! QUE AINDA POR SIMA NÃO CURAM NINGUÉM! TRATAR SÓ OS SINTOMAS COM DROGAS MORTAIS ISSO SIM QUE É ALTERNATIVO! POIS ALTERNATIVO SIGNIFICA TRATAMENTO SEM COMPROVAÇÃO CIENTIFICA! E TUDO QUE MINHA ESPOSA FEZ E FAZ, TEM SIM COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA, NUTROLOGIA, BIOQUÍMICA, IMUNOLOGIA, CITO INCLUSIVE VÁRIOS TRABALHOS CIENTÍFICOS, COM FONTES EM PORTUGUÊS, FRANCES, ESPANHOL, ALEMÃO E RUSSO.  INCLUSIVE VIDEOS DE AULAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM MEDICINA, COM DOUTORES DAS MAIS RENOMADAS FACULDADES DO MUNDO: Harvard University, Thomas Jefferson University, ENTRE OUTRAS!
Fruto de 10.000 HORAS DE LEITURA ATÉ A CRIAÇÃO DO BLOG, E HOJE JÁ TENHO 18.000 HORAS DE LEITURA. MAIS ISSO NÃO TEM NENHUM VALOR, POIS O IMPORTANTE É QUE MINHA ESPOSA SE CUROU TOTALMENTE EM 2 ANOS DESTE TRATAMENTO.

Não fico expondo minha vida pessoal ou fotos minhas e de Catarina neste blog, pois aqui não é o face book, apenas relato algo terrível que passei em minha vida, que teve um final feliz para mim e minha esposa, e divido essa experiência com quem quiser acreditar, até porque não ganho nada com isso, apenas a consciência tranquila de que contei como foi esse tratamento em nossas vidas.
Não quero que ninguém faça nada igual ou se espelhe em mim, porem me sinto na obrigação de dividir tudo que passei, até por que no caso da minha esposa ela ficou totalmente curada!

  curassecretas@gmail.com

INÍCIO

Descrevo a história de como minha esposa passou de paciente terminal de Lupus, Artrite Reumatoide e síndrome de Sjogren a uma pessoa totalmente CURADA, sem sintomas, e sem a necessidade de DRÓGAS, hoje a mais de 5 anos e meio.
.
 Desculpe a demora nas respostas dos e-mails, pode ligar que fico a disposição.
MEUS CONTATOS
E-mail: curassecretas@gmail.com

RESUMO:
Minha esposa durante 2 anos e 8 meses, foi paciente terminal de Lupus Eritematoso Sistêmico, Artrite Reumatoide, Síndrome de Sjogren, a chamada doença Mista do Tecido Conjuntivo. Ela foi desenganada por 148 Médicos Reumatologistas, Mestres e professores das maiores faculdades de SP, RJ e EUA. Ficou na cadeira de rodas a beira da morte, tomando todos os remédios possíveis e imagináveis da Medicina da Escola Americana EUA, (Cortisona, cloroquina, MTX etc.). E só piorava, clinicamente e laboratorialmente, Tudo isso somado aos efeitos colaterais terríveis e irreversíveis destas drogas.

 Quando ela estava praticamente inválida, demonstrou vontade de seguir uma nova linha de tratamento, tentando nutrir seu corpo com uma alimentação mais adequada, com o consumo de frutas, eliminação de gorduras saturadas, e dos alimentos proibidos, chamados de pro inflamatórios, que são fontes de energia para os processos inflamatórios no organismo.
Em minha opinião, na medicina atual existem duas correntes de médicos, os médicos que receitam altas doses de drogas sem medir as consequências dos efeitos colaterais, e os médicos contra o uso ABUSIVO E INDISCRIMINADO de drogas como Cortisona, Médicos que tratam às possíveis causas dos problemas, para só utilizar essas drogas em ultimo caso, se assim for necessário.

Passei por 148 Médicos diferentes que muitas vezes vendo pouquíssimos exames  receitavam logo de inicio, grandes doses de cortisona, eu agradecia e procurava outro Médico, até encontrar o nosso atual Reumatologista que resolveu investigar a fundo para checar o diagnostico, e testar alergias alimentares, e a melhora foi tão grande no caso de Catarina que foi possível tirar gradativamente todas as drogas, e iniciou o seguinte tratamento:

CASO 100% REAL (VEJA VÍDEO E INFORMAÇÕES COMPLETAS NO LINK ABAIXO:

Link: http://curassecretas.blogspot.com.br/2010/06/depoimento-de-cura-do-lupus-e-artrite.html


quinta-feira, 16 de junho de 2016

terça-feira, 14 de junho de 2016

RELEMBRANDO: “Criei um monstro” - Do ex-procurador-geral da República Sepúlveda Pertence

Política -  Mauricio Dias— publicado 22/12/2012 09h09, última modificação 22/12/2012 09h09

Foi lançado, recentemente, pelos procuradores paulistas um abaixo-assinado contra a Proposta de Emenda Constitucional que põe em jogo o poder de investigação criminal do Ministério Público.  É apelidada de “PEC da Impunidade”. A referência é, certamente, uma tentativa de ganhar popularidade em decorrência do julgamento do chamado “mensalão” petista.
Há, no entanto, uma discussão na sociedade em sentido contrário ao que essa PEC da Impunidade busca: manter o direito de o MP investigar. O debate vem de longe e é guiado por uma frase lançada pelo advogado Sepúlveda Pertence, quando se despediu da função de procurador-geral da República (no governo Sarney): “Eu não sou o Golbery, mas também criei um monstro”.
Golbery do Couto e Silva, general articulador do golpe de 1964, foi o idealizador e o primeiro chefe do Serviço Nacional de Informações (SNI), que ganhou vida própria e, posteriormente, engoliria o próprio criador por ocasião das bombas do Riocentro em 1981. Golbery pediu a cabeça do general Gentil Marcondes, comandante da Vila Militar de onde haviam saído os terroristas fardados. O general Octávio Medeiros, então chefe do SNI, se opôs com o apoio do ditador Figueiredo. A demissão de Golbery não tardaria.
Pertence, afastado do Ministério Público, também foi engolido pelo “monstro” criado por Golbery e expurgado >>>

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Precisamos falar sobre a vaidade na vida acadêmica

OPINIÃO
por Rosana Pinheiro-Machado — publicado 24/02/2016 03h37, última modificação 24/02/2016 12h17

Combater o mito da genialidade, a perversidade dos pequenos poderes e os "donos de Foucault" é fundamental para termos uma universidade melhor

A vaidade intelectual marca a vida acadêmica. Por trás do ego inflado, há uma máquina nefasta, marcada por brigas de núcleos, seitas, grosserias, humilhações, assédios, concursos e seleções fraudulentas. Mas em que medida nós mesmos não estamos perpetuando esse modus operandi para sobreviver no sistema? Poderíamos começar esse exercício auto reflexivo nos perguntando: estamos dividindo nossos colegas entre os “fracos” (ou os medíocres) e os “fodas” (“o cara é bom”).

As fronteiras entre fracos e 'fodas' começam nas bolsas de iniciação científica da graduação. No novo status de bolsista, o aluno começa a mudar a sua linguagem. Sem discernimento, brigas de orientadores são reproduzidas. Há brigas de todos os tipos: pessoais (aquele casal que se pegava nos anos 1970 e até hoje briga nos corredores), teóricas (marxistas para cá; weberianos para lá) e disciplinares (antropólogos que acham sociólogos rasos generalistas, na mesma proporção em que sociólogos acham antropólogos bichos estranhos que falam de si mesmos).

A entrada no mestrado, no doutorado e a volta do doutorado sanduíches vão demarcando novos status, o que se alia a uma fase da vida em que mudar o mundo já não é tão importante quanto>>>

Burocracia judicial em causa própria: Jornalistas que divulgaram salários de magistrados são alvos de ações

07/06/2016 19h30 - Atualizado em 07/06/2016 20h00

Profissionais da Gazeta do Povo foram processados 37 vezes. Magistrados e promotores receberam acima do teto constitucional em 2015.


Associações que representam jornais e o Sindicato dos Jornalistas do Paraná criticaram nesta terça-feira (7) a reação de magistrados e promotores que entraram com dezenas de ações contra profissionais do jornal Gazeta do Povo. As ações foram propostas depois que o jornal publicou uma série de reportagens que mostravam os salários acima do teto constitucional pagos pelo Tribunal de Justiça (TJ) e pelo Ministério Público do Paraná (MP).
As reportagens que motivaram as ações judiciais foram publicadas pela Gazeta do Povo em fevereiro e analisaram dados encontrados nos portais da transparência do MP e do TJ.
Por conta das reportagens, três repórteres, um analista de sistemas e o responsável pelo visual gráfico das matérias viraram réus em 36 ações em juizados especiais, e também uma ação na Justiça comum – todas elas movidas por juízes e promotores que se dizem ofendidos com o que foi publicado.
Nas ações nos juizados especiais, os profissionais do jornal são obrigados por lei a comparecer às audiências. Eles já estiveram em 19 delas nos últimos>>

terça-feira, 7 de junho de 2016

Vianna: Democracia foi sequestrada pelo consórcio Mídia-MP

7 DE JUNHO DE 2016 ÀS 12:46

Por Rodrigo Vianna, na Fórum

Está claro há muito tempo que o processo em curso no Brasil não é apenas um ataque ao PT, ou ao que se convencionou chamar de lulismo. É um ataque ao sistema político estabelecido pelo pacto da Constituição de 88; e, talvez, chegue a ser também um ataque à ideia de Estado Nacional – que se constrói desde a Era Vargas.
O pedido de prisão de Sarney, Renan e Jucá (que repousa na mesa de Teori, no STF) mostra que o sistema político desmoronou.
Em 64, Lacerda achava que, demolindo o trabalhismo e derrubando Jango com apoio dos militares, herdaria o poder. Acabou cassado e a UDN foi extinta da mesma forma que o PTB.
Um advogado, fonte deste blogueiro e que atua na Lava-Jato, dizia já em 2015: “o PSDB, o Aécio e o PMDB terão o mesmo fim de Lacerda; não percebem que a Lava-Jato ataca hoje o PT, mas que o passo seguinte será a destruição>>>

sábado, 4 de junho de 2016

ELITISMO UNIVERSITÁRIO: DESSERVIÇO PARA A SOCIEDADE

OPINIÃO

A mais recente iniciativa dos estudantes da UnB nas redes sociais, denunciando as práticas elitistas dos professores universitários e da própria universidade no dia a dia do curso de Relações Internacionais é um poderoso sintoma do tipo de pais que estivemos construindo, enquanto a questão dos direitos humanos e do meio ambiente, entre outros, ocuparam o pódio do que podemos denominar de pensamento crítico social. Na calada da noite, encoberto pela retórica dos discursos acadêmicos e dos conhecimentos científicos de pobres resultados, grassou e ainda grassa a pequenez da arrogância e da prepotência cega, que impossibilita o desenvolvimento de um modelo universitário capaz de servir à sociedade que à sustenta.
Enquanto na sociedade chegou-se ao extremo das Audiências de Custódia, onde o juiz foca a sua observação dos fatos investigando se a abordagem policial foi adequada na prisão do cidadão – necessária, mas excessivamente maculada pelo entendimento de que somente as forças policiais cometem abusos contra os direitos humanos, no ensino universitário (apenas como exemplo) a cidadania – um dos pilares da República e do estado democrático de direito -, é destratada, desconsiderada e perseguida pelas prepotências imexíveis da arrogância acadêmica. Então não haveremos de combater o assédio moral e sexual>>>

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Universidade nega título a Moro: currículo tem uma página!

"Agente judicial treinado pelos Estados Unidos"!!!

publicado 01/06/2016

Reitoria da UEM não concede o título de Doutor honoris causa a Sérgio Moro
O reitor Mauro Luciano Baesso decidiu não conceder o titulo de Doutor honoris causa ao juiz Sérgio Moro, depois que um grupo de docentes e funcionários da Universidade Estadual de Maringá (UEM) solicitou sua invalidação. Dois documentos foram produzidos, e um deles protocolado, elencando varias considerações para a anulação do título.
Entre elas, o currículo Lattes do juiz  maringaense com apenas uma página e com um parco conhecimento em língua estrangeira, além de uma graduação desconhecida e não >>>

Velha notícia mostra Sérgio Moro Cidadão Comum


Justiça obriga juiz a escolher entre STF e magistério


25 de julho de 2012, 6h06
Por Pedro Canário

Para qualquer juiz, ser nomeado assessor de gabinete de um ministro do Supremo Tribunal Federal é uma grande honra, mas pode atrapalhar. Atrapalhou, por exemplo, as atividades acadêmicas do juiz federal Sérgio Fernando Moro, da 2ª Vara Federal Criminal de Curitiba. No início do ano, ele foi designado assessor da ministra Rosa Maria Weber, o que o levou a brigar com a Universidade Federal do Paraná e levar o caso à Justiça Federal da 4ª Região.
Moro é professor de Processo Penal da Faculdade de Direito da UFPR e tem contrato que o obriga a trabalhar 20 horas por semana e ministrar pelo menos oito horas-aula semanais. Inicialmente, o juiz fora requisitado para trabalhar no STF duante o primeiro semestre de 2012. Conseguiu trocar, informalmente, os horários com outros professores da faculdade e se comprometeu a repor as aulas não dadas em sábados no segundo semestre.
Só que o desempenho de Moro como assessor o fez ser requisitado por mais seis meses, até o fim deste ano. Foi aí que começou a briga. Como precisa passar a semana em Brasília, o juiz pediu à Faculdade de Direito da UFPR que o liberasse por mais seis meses, se comprometendo a dar três aulas ininterruptas às sextas-feiras — quando a corte permite folga.
O pedido foi indeferido pelo Departamento de Direito Penal e Processo Penal. Moro recorreu, então, à administração da faculdade, e ouviu outro “não”. O colégio de professores disse que a proposta de Moro agride >>>

quinta-feira, 28 de abril de 2016

A OUTRA COR DO MEU PAIS

A OUTRA COR DO MEU PAÍS

Tudo bem: a cor do meu país
Nasceu do azul do céu
Do verde de nossas matas
E do amarelo que o ouro trás

Cores que brilharam nos olhos
Do estrangeiro que aqui bamburrou
Tanto que nossa bandeira
Foi o francês Debret que criou

Mas tem outra cor que nasceu de dentro
Como tudo que é muito adorado
Uma cor escondida no próprio nome
Feito um amor lá dentro guardado

A outra cor do meu país veio da mata,
Do miolo, do pau-Brasil mais cobiçado
Quem vê outra cor nesse nome que pronuncia
Chama de Leonor quem tem nome de Maria

A outra cor do meu país não é cor pra ser negada
É pau-Brasil em brasa, é a cor mais encarnada
Pau-Brasil é brasa, brasa não tem perdão
É vermelha e arrasa como a cor do coração

(adaptado do original)



(Original)

A COR DO MEU PAÍS

Não nasceu do azul do céu
Nem do verde de nossas matas
Ou do amarelo que o ouro trás

A cor do Brasil nasceu de dentro
Como tudo que é muito adorado
Cor escondida no nome
Feito amor à espera
Da hora de ser revelado

Veio da sua mata,
De dentro, do miolo
do pau-Brasil mais cobiçado

Quem vê outra cor
Na palavra que pronuncia
Chama de Leonor
Quem tem nome de Maria

A cor do meu país
Não é cor pra ser negada
É pau-Brasil em brasa
É a cor mais encarnada

Fonte: www.chicomorbeck.blogspot.com



(Isso já deu samba-enredo)

A COR DO MEU PAÍS

A cor do meu país podia ser
O azul do céu
O verde de nossas matas
O amarelo do ouro, mas

A cor do meu país nasceu de dentro
Como tudo que é muito adorado
Cor escondida no nome
Feito amor que depois é revelado

A cor do meu país veio da mata
Do miolo do pau-Brasil mais cobiçado

Quem vê outra cor no nome que pronuncia
Chama de Leonor quem tem nome de Maria
(bis)

A cor do meu país não é cor pra ser negada
É pau-Brasil em brasa é a cor mais encarnada
(bis)

Pau-Brasil é brasa
Brasa não tem perdão
É vermelha e arrasa
Como a cor do coração

Agora sei...



terça-feira, 26 de abril de 2016

Processo de impeachment foi grosseiramente forjado, diz Fabio Konder

Terça-feira, 26 de abril de 2016

Jurista alerta para necessidade de "programa de educação ética em todos os níveis"

O jurista Fábio Konder Comparato aponta que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff é uma tentativa de forjar "grosseiramente" a existência de um crime de responsabilidade. Em entrevista à IHU On-Line, publicada nesta terça-feira (26), o professor explicou o por quê e chamou a atenção para dois fatores que desencadearam a atual crise política -- o fato de uma pessoa da classe proletária conseguir se introduzir no quadro político tradicional; e de o país estar a beira de um colapso econômico, fruto em grande parte da sucessão do capitalismo industrial pelo capitalismo financeiro.

Fábio Konder Comparato também esclareceu que a Constituição Federal determina que a decisão de impeachment cabe ao Congresso Nacional, mas que "o STF não pode, de forma alguma, manter-se alheio ao processo". "Não só porque lhe compete, precipuamente, 'a guarda da Constituição' (art. 102), como também porque 'a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito' (Constituição Federal, art. 5º, XXXVI)."

"O atual ambiente generalizado de ódio, preconceito e intolerância política pôs em foco a falta de formação ética de grande parte do nosso povo"
Sobre a convocação de novas eleições, o jurista indicou: "Novas eleições só serão admissíveis mediante emenda constitucional."

"O atual ambiente generalizado de ódio, preconceito e intolerância política, criado durante o governo Dilma Rousseff, e que culminou com a escandalosa sessão da Câmara dos Deputados do último dia 17 de abril, pôs>>>

Impeachment: Golpe e resistência


por Roberto Amaral — publicado 26/04/2016 03h59

Ironicamente, deve-se à direita a reaglutinação das forças de esquerda

a sua inexcedível capacidade de superar a fantasia, a política rasteira nos transportou, no domingo 17, para o imaginário de Macondo, promovendo o encontro do realismo fantástico com o espírito de Macunaíma, no que ele tem de moralmente grotesco e de lassidão. A sociedade, preocupada com os destinos de seu país, postou-se diante da tevê para saber como votavam seus representantes chamados a decidir o destino do mandato da presidenta da República.

Mas, no lugar de um espetáculo cívico, presenciou uma ópera-bufa. Por horas, assistiu incrédula e, certamente, constrangida ao desfilar tragicômico de personagens ridículos que se sucediam diante das câmeras. Assim, o Brasil conheceu a Câmara e seus deputados. Aplausos para as exceções.

Não se ouviu dos adeptos do “sim” um só conceito político ou jurídico, um só>>>

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Depois de derrubar Dilma, ditadura vai prender Lula e cassar registro do PT

POR CARLOS MOTA

A primeira fase do golpe contra a democracia brasileira está sendo executada com precisão.

A presidenta Dilma já não governa de fato - e daqui a poucos dias, será afastada "temporariamente" pelos ilustres senadores desta republiqueta bananeira.

A segunda fase se iniciou há um tempo e será consumada bem antes do que muitos imaginam: a prisão de Lula e a sua condenação, para que não concorra na próxima eleição presidencial.

A terceira e última fase, digamos, política, será a cassação do registro do Partido dos Trabalhadores, o maior da esquerda brasileira, como ocorreu com o PCB em 1947.

Claro que os golpistas, que são a face visível dos plutocratas que mandam no país desde sempre, não se contentarão com essas providências.

O desmonte do lulopetismodilmismo se dará com a eliminação dos programas sociais que garantiram a redução, mínima é verdade, da desigualdade social, e, como eles gostam de dizer, com a "flexibilização" dos direitos trabalhistas - na prática, o fim da CLT.

Para completar a obra,>>>

Baltasar Garzón: "Povo brasileiro nunca perdoará ataque frontal à democracia"

24/04 às 19h37 - Atualizada em 24/04 às 20h05

Juiz espanhol que prendeu Pinochet critica "espetáculo oferecido por procedimento contra Dilma"

Ética Política e Justiça no Brasil

Partindo da consciência crítica de quem pertence a um país que em algum momento histórico exerceu o férreo poder do colonialismo atualmente em debate entre mil contradições e contrariedades, mas também partindo da firmeza democrática e da convicção de defender valores universais como justiça, liberdade e democracia, quero compartilhar com vocês meus sentimentos e algumas reflexões que tenho feito diante da difícil situação que vive institucionalmente o Brasil.

Sinto profundo pesar em observar que pessoas que são referências da boa política, defensores dos direitos sociais, de trabalhadores e daqueles que são os elos mais fracos da cadeia humana estão na mira das corporações que, insensíveis aos sentimentos dos povos, estão dispostas a eliminar todos os obstáculos que se lhes apresentem para consolidar posição de privilégio e controle econômico sobre a cidadania com>>>

terça-feira, 19 de abril de 2016

Saindo da zona de conforto para novas lições

Facebook de Tico Santa Cruz


Foi um dia triste sim. Houve uma derrota importante. A jovem democracia Brasileira foi ferida. Mas é preciso se tirar algo positivo até nos

piores momentos. Pois se não aprendermos com os percalços, de nada terá servido essa luta.

Conheci pessoas extraordinárias. Me envolvi em movimentos que me trouxeram novas percepções.

Me apaixonei ainda mais por causas que sempre me mobilizaram, no entanto estreitando o amor por elas e as entendendo melhor.

Para a esquerda brasileira, a meu ver, houve um avanço significativo, uma vez que seu projeto de país foi colocado em risco e para defendê-lo>>>

NEM CUSPIR NEM APOLOGIA À TORTURA

ESFÉRICO
Se o homem enxerga o horizonte
a partir de uma linha
traçada
da ponta do seu nariz
jamais enxergará a democracia

Se o homem enxerga o horizonte
ciente de que tudo
o que vê
com ele caminha
a democracia andará com ele

Se o homem enxerga o horizonte
Ciente de que tudo o que vê
e o que não vê
com ele caminha
nada se distinguirá
entre ele e a democracia
entre a democracia e o horizonte.

(poema inédito do livro Confissões Vermelhas, de Chico Morbeck)

Outros poemas AQUI

sábado, 16 de abril de 2016

Provas ilegais e armações ilimitadas podem anular a Lava Jato

Política

Exclusivo

Meire Poza é pivô de provas ilegais na Lava Jato, indicam documentos

A maior investigação da história pode ter passado por cima da lei em nome da justiça, mostram bastidores da operação

CartaCapital teve acesso a um conjunto de trocas de mensagens, vídeos, fotos e documentos que revelam que integrantes da Operação Lava Jato podem ter feito uso de provas ilegais, vazado informações confidenciais, forjado buscas e apreensões e usado uma informante infiltrada irregularmente. São diálogos entre agentes e delegados da Polícia Federal e Meire Poza, contadora e ex-braço direito de Alberto Youssef, principal delator do escândalo de corrupção na Petrobras.
O que será narrado a seguir mostra que, à margem da lei, a força-tarefa pode ter colocado todo o trabalho de três anos de investigação em risco por conta do "justiça a qualquer preço". Eventualmente, a chamada doutrina jurídica dos frutos da árvore envenenada pode fazer com que todas as provas e missões concluídas sejam questionadas e até invalidadas pela Justiça. Outras operações, entre elas a Castelo de Areia, foram anuladas por supostamente>>>

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Vazamento de mensagem mostra Temer, antes da votação, comemorando a "aprovação" do empeachment e falando como "presidente"

LEIA VOCÊ MESMO A MENSAGEM DE ÁUDIO QUE FOI ENVIADA POR TEMER AOS DEPUTADOS DO PMDB, MAS QUE VAZOU PARA A IMPRENSA


LEIA A MENSAGEM DE TEMER NA ÍNTEGRA

Eu quero neste momento me dirigir ao povo brasileiro para dizer algumas das matérias que penso que devam ser por mim agora enfrentadas. 

E eu faço, naturalmente, com muita cautela porque, na verdade, sabem todos que há mais de um mês eu me recolhi exata e precisamente para não aparentar que eu estaria cometendo algum ato, praticando algum gesto com vistas a ocupar o lugar da senhora presidente da República. 

Recolhi-me o quanto pude, mas, evidentemente, neste período fui procurado por muitos que estão aflitos com a situação do nosso país. Mas agora, quando a Câmara dos Deputados decide por uma votação significativa, declarar a autorização para a instauração de processo de impedimento contra a senhora presidente, muitos me procuraram para que eu desse pelo menos uma palavra preliminar à nação brasileira, o que eu faço, com muita modéstia, com muita cautela, com muita moderação, mas também em face da minha condição de vice-presidente e naturalmente de substituto constitucional da senhora presidente da República. 

E desde logo, eu quero afirmar que temos ainda um longo processo pela frente, passando pelo Senado Federal. Então todas as minhas palavras levarão em conta apenas a decisão da Câmara dos Deputados,>>>

domingo, 10 de abril de 2016

O Brasil se levanta: Universidade de Goiás reduz promotores fascistas ao que são: um nada

POR FERNANDO BRITO · 10/04/2016

O Conselho da Universidade Federal de Goiás divulgou uma nota de resposta aos promotores do Ministério Público Federal que mandaram proibir atos políticos dentro do campus  e procuraram intimidar as manifestações contra o golpe da comunidade acadêmica.

Com elegância, mas firmeza, mandaram dizer ao doutores da carteirada que, por enquanto, neste país a liberdade é a lei:

O Conselho Universitário (CONSUNI) da Universidade Federal de Goiás (UFG) reunido na data de 08/04/2016 considera que a dinâmica acadêmica demanda, em suas práticas de ensino, pesquisa, inovação e extensão, o diálogo aberto com a sociedade em sua totalidade. Entendemos que o cenário de instabilidade política requer que a Universidade se antecipe, dialogue, investigue e realize debates públicos em busca de respostas para os problemas sociais, evitando a construção de saber enviesado e distante da sociedade.

Assim, o Consuni repudia a recomendação do MPF/GO de que a Universidade se abstenha de promover ou participar de atividades cujo tema se relacione ao debate político>>>

Jornal do Brasil: Lula e Marina são favoritos para 2018; candidatos do PSDB não decolam

Michel Temer não consegue ultrapassar os 2% de intenção de voto

10/042016 às 15h52 - Atualizada hoje às 16h47

Pesquisa do Datafolha divulgada neste domingo (10) simulou quatro cenários distintos para a eleição presidencial de 2018. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva venceria em quase todas elas se a eleição fosse hoje. Em algumas situações, o petista aparece em empate técnico com Marina Silva (Rede).

No primeiro cenário, o instituto promoveu a disputa entre Lula, Marina e o senador Aécio Neves (PSDB). Lula aparece como o preferido de 21% dos entrevistados; Marina vem em seguida, com 19%; e Aécio, que já teve 27% da preferência em dezembro do ano passado, aparece com 17%. Jair Bolsonaro (PSC) tem 8%; Ciro Gomes (PDT) tem 7% e Michel Temer 2%.

No segundo cenário simulado pelo Datafolha, Marina e Lula aparecem>>>

Janot é o jacaré da derrubada de Dilma

POR FERNANDO BRITO · 07/04/2016



Uma breve reflexão sobre o que teria feito o sr. Rodrigo Janot mudar, aparentemente, de forma radical de opinião: de quem defendia, no dia 28 de março, a posse de Lula como ministro da Casa Civil e hoje, 7 de abril, diz que isso não pode acontecer.

Janot mudou?

Em meados do ano passado, era voz corrente que Dilma Rousseff reconduziria Rodrigo Janot à chefia da Procuradoria Geral de República por algum tipo de freio à Operação Lava Jato. O que, os dias mostraram, era uma suposição totalmente falsa.

Da mesma forma, falou-se em um acordo entre Renan Calheiros, presidente do Senado e a quem cabia comandar sabatina e a votação do Procurador Geral e Janot. Havia, até, “indícios” de que isso estivesse ocorrendo, pois Janot participou de encontros e jantares com ambos, como registra a Folha.

Dilma manteve a indicação de Janot, ainda que seu ato pudesse ser, com base em tais suposições, apontado como um “desvio de finalidade”.

Mas como age Rodrigo Janot?>>>

quinta-feira, 7 de abril de 2016

DO CUSTO BRASIL AO RISCO BRASIL: ÍNTEGRA DO DEPOIMENTO DE LULA À PF

Como advogado, é praticamente uma obrigação ler o depoimento de Lula à Polícia Federal,  na famosa "condução coercitiva" levada a efeito no dia 14 de março de 2016 . Não quero exigir-lhe a mesma atitude. Mas tenha nos seus arquivos o que todo brasileiro deveria ler para formar uma opinião própria sobre o caso. Para o país, pode estar em questão muito mais do que a culpa ou a inocência de Lula.

Copie e cole esse link para LER:

file:///C:/Users/P_246243/Downloads/depoimentolula%20(1).pdf

quinta-feira, 31 de março de 2016

Segunda carta de um funcionário público federal a Sérgio Moro

quarta-feira, 30 de março de 2016


Juiz Moro,

Em carta que lhe enderecei há um ano atrás, (*) tratei-o  de senhor e vossa excelência. Desta feita, tive que recorrer ao Dicionário para encontrar algumas definições para essa aberração entocada e entogada em que você se transformou.

Posso adjetivar o substantivo HOMEM para defini-lo? Talvez, mas em pouquíssimas das centenas de definições que encontrei no dicionário para a palavra homem, me veio, de imediato, sua deprimente  imagem: “Homem: mamífero, bípede”. Ao continuar, uma outra me pareceu também você “lavado” e cuspido: a imagem do psicótico  “Homem de duas caras: aquele de atitudes ambíguas, falso, dúplice, sem palavra”.

Mas, não será através de dicionário algum – pois nenhum deles é tão preciso ao ponto de descrever alguém com suas desqualificações hominídeas – que conseguirei defini-lo. Faço-o, então, à luz da minha consciência, trazendo a público o que enrubesce meu coração e revolve minha mente; ou, pior,>>>

quarta-feira, 30 de março de 2016

Uma luz sobre o escândalo da reeleição de FHC


por Jose Antonio Lima — publicado 29/03/2016 04h29




A delação de Pedro Corrêa (PP) indica que empresários pagaram propina a quem votou para mudar a Constituição em 1997


Em 2007, durante uma sabatina promovida pelo jornal Folha de S.Paulo, o ex-presidenteFernando Henrique Cardoso negou participação no esquema de compra de votos para permitir sua reeleição, mas não negou a existência do esquema. “Houve compra de votos? Provavelmente. Foi feita pelo governo federal? Não foi. Pelo PSDB: não foi. Por mim, muito menos”.
A compra de votos teria sido realizada por quem, então? A delação premiada do ex-presidente do PP Pedro Corrêa, que integra as investigações da Operação Lava Jato e ainda não homologada pela Justiça, pode ajudar a responder.
Na delação>>>

Pediatra se recusa a atender bebê que é filho de petista



25 DE MARÇO DE 2016 ÀS 10:21

Ex-secretária de Política para as Mulheres do Rio Grande do Sul, Ariane Leitão afirmou que deve tomar providências contra a médica, que atende em um hospital público da capital gaúcha



Fórum - Francisco, de 1 ano, teve o seu atendimento negado por uma pediatra na semana passada em razão de sua mãe ser petista. A médica, cujo nome não foi divulgado, teria mandando uma mensagem por escrito para a mãe em que “declinava de maneira irrevogável de atender Francisco” por esse motivo.

Ela atendia o bebê desde que ele tinha um mês. A mãe, Ariane Leitão, foi secretária de Política para as Mulheres do Rio Grande do Sul e vereadora em Porto Alegre. Ela decidiu revelar o ocorrido apenas nesta semana. “Fiquei tão chocada que a sensação,na hora, era de que tinham me dado um soco no estômago! Nada pode ser pior que envolver teu filho nessa canalhice toda”, escreveu nas redes sociais.

Ariane conta que ela e o marido estudam entrar com ações judiciais e administrativas contra a médica. “Ainda sob impacto de nosso filho ter sido negligenciado, sua vida e sua saúde, por uma pseudo profissional, que sequer honra seu juramento de profissão”, ressalta. A profissional atendia o bebê no hospital do Instituto de Previdência do Rio de Grande do Sul, em Porto Alegre.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/rs247/222645/Pediatra-se-recusa-a-atender-beb%C3%AA-que-%C3%A9-filho-de-petista.htm

sexta-feira, 25 de março de 2016

QUEM APRENDEU O CAMINHO DAS RUAS NA TEORIA PODE VIRAR APENAS ABRE ALAS PARA O POVO

O mais interessante no pensamento da elite e da classe média é sua ingenuidade política. Intelectualmente preparadas nas universidades e faculdades que primam pelo "marque um X na (única) resposta certa", elas desconhecem os caminhos imprevisíveis pelos quais as mudanças políticas ocorrem.

Nas últimas décadas, embevecidas pela liberdade de manifestação do pensamento e com maior liberdade operacional dentro da sociedade de consumo que as privilegias sob a alegação de sua competência, elas incorporaram o falso pensamento de que as ruas lhes pertencem. Tanto ouviu falar nas mudanças provocadas desde o movimento das Diretas Já em 1984, alcançadas pela força do povo nas ruas, que ela está "se achando", como dizem hoje popularmente.

Isso posto, não sabe elas que a presença de suas simplificações nas ruas - onde todos são bandidos, menos elas e Moro, pode trazer-lhes resultados indesejados, já que suas bandeiras não respeitam sequer os limites constitucionais. Lembrando: a Constituição é um contrato entre todas as partes que formam a sociedade. Deve, então, valer para todos. Do gari ao Juiz. Do peão ao ministro do STF.

A mentalidade com que se formou a elite brasileira e a classe média é sua maior>>>

terça-feira, 22 de março de 2016

O Estado de Direito e o da Direita, por Mauro Santayana. Genial !

POR FERNANDO BRITO · 07/01/2016
Mauro Santayana publica em seu blog um pequeno “manual das diferenças” entre um país que vive num Estado de Direito e outro em que, embora sem ainda o poder formal, ela tomou o poder de fato.
Escrito como ele o fez, é de passar adiante, talvez aos pedaços, porque, infelizmente, pensar é coisa que se acha, hoje, que não pode tomar mais do que alguns rápidos minutos.
Mesmo assim, é de uma clareza chocante>>>

segunda-feira, 21 de março de 2016

Justiça urgente: Juristas assinam HC para deter abusos contra Lula


Antonio Ferreira Nogueira Jr.  20:22:00  Gilmar Mendes , Golpe , Habeas Corpus , Lula , STF


Seis dos mais respeitados juristas brasileiros impetraram hoje (20/03), juntamente com os advogados do ex-presidente Lula, habeas corpus no Supremo Tribunal Federal contra decisão injurídica do ministro Gilmar Mendes, que devolveu ao juiz Sergio Moro as ações referentes a Lula na Lava Jato.

No habeas corpus encaminhado ao presidente do STF, Ricardo Lewandowski, a defesa de Lula e os juristas pedem que a decisão de Gilmar seja anulada e que as ações sejam mantidas com o ministro Teori Zavascki, que tem a competência sobre o caso Lava Jato no Supremo.

O habeas corpus histórico é assinado pelos juristas Celso Antônio Bandeira de Mello, Weida Zancaner, Fabio Konder Comparato, Pedro Serrano, Rafael Valim e Juarez Cirino dos Santos, junto com os advogados Cristiano Zanin Martins, Valeska Teixeira Zanin Martins e Roberto Teixeira, defensores de Lula.

Os juristas e advogados comprovam que Gilmar Mendes extrapolou e invadiu >>>

sábado, 19 de março de 2016

Desembargador denuncia: sentença em 28 segundos e decisão no sistema antes de receber os autos

É MUITO PIOR DO QUE SE IMAGINAVA

Tutmés Airan de Albuquerque Melo*
O cidadão Enio Merecalli Junior ingressou, na data de 17 de março, com uma ação popular em face da Exma. Sra. Presidenta da República, tendo por objetivo impedir a nomeação do Sr. Ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o cargo de Ministro de Estado.
A referida ação popular foi proposta na Justiça Federal do Distrito Federal e distribuída à 4ª Vara, tendo por juiz o Senhor Itagiba Catta Preta Neto.
No mesmo dia em que recebeu o processo, o magistrado deferiu o pedido liminar, isto é, determinou a suspensão do ato de nomeação do Ex-Presidente para o cargo de Ministro de Estado Chefe da Casa Civil.
O site “Tijolaço”, em matéria assinada por Fernando Brito, revela um detalhe assombroso e, no mínimo, suspeito: o juiz teria proferido sua decisão contra o Ex-Presidente no tempo recorde de 28 (vinte e oito) segundos!
Esse teria sido o tempo transcorrido entre o instante em que o processo foi remetido ao juiz para dar a decisão e o instante em que a decisão liminar foi deferida.
Há, porém, um fato de gravidade ainda maior.>>>

quarta-feira, 16 de março de 2016

MORO DESMASCARA SUA IMPARCIALIDADE E DEVE SER JULGADO PELAS ILEGALIDADES E ABUSOS DE PODER

Depois de ver o estardalhaço feito pela oposição com a divulgação das gravações de Lula ficam as perguntas:

1 - Lula falou do acovardamento do Supremo Tribunal Federal e dos parlamentares do Congresso Nacional.

LULA é cidadão comum para ser processado, grampeado e conduzido coercitivamente pela Polícia Federal, MAS NÃO É CIDADÃO COMUM PARA EMITIR SUA OPINIÃO?

2 - O juiz Sérgio Moro, tendo autorização para grampear LULA, grampeu a presidente.

Nesse caso, ele SABE (exceto se tem intenções políticas) que NÃO PODERIA divulgar a gravação, pois não estava autorizado a grampear a presidente. Razão pela qual já declarou à imprensa que "desautorizou" o grampo antes da gravação divulgada. FRITOU a POLÍCIA FEDERAL que terá que responder por isso.

3 - Dilma disse que Lula só deveria usar o papel "se houvesse necessidade". 

QUE PAPEL Dilma enviou para Lula que o livrasse de algum problema? NENHUM que tivesse esse significado, porque de nada adiantaria ele mostrar um papel assinado pela Dilma para livrar-se da justiça. Somente o Poder Judiciário (mandado de segurança preventivo) poderia livrar o Lula de qualquer tentativa de abuso de Sérgio Moro.

4 -  Moro agora, voltando ao devido lugar de um Juiz sem intenções políticas, DECLAROU QUE SÓ FALA NO PROCESSO! Vamos considerar ilegal tudo o que ele e os procuradores falaram em palestras e na imprensa nos últimos anos?

MALANDRO DEMAIS SE ATRAPALHA!