terça-feira, 3 de setembro de 2013

Mesmo cega a justiça sempre "conhece" seus interlocutores

Funciona assim. Você é funcionário do departamento de compras de um grande supermercado e se aposenta. Claro que você ainda conhece todo mundo por lá! Como você trabalhava num lugar onde há muitos negócios, você procura os fornecedores e começa a trabalhar para eles. Com você o fornecedor consegue maior visibilidade e influência no departamento de compras onde você trabalhou a vida toda. Fácil, não?  Essa é a ética do mercado e tudo funciona com essa ética.
Por incrível que pareça é exatamente o que acontecia quando você era ministro ou desembargador e trabalhava na Justiça. Depois de aposentado... o caminho dos ilustres era o mesmo.
Mas, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) acaba de tomar uma das decisões mais fortes contra o tráfico de influência nas cortes brasileiras. A partir de agora, os escritórios de advocacia que têm em seus quadros ministros ou desembargadores aposentados ficam proibidos de advogar no tribunal onde eles eram magistrados. Antes, somente ao magistrado aposentado não era permitido atuar no tribunal em que ele trabalhou. Agora, o veto foi estendido ao escritório.
Essa é a simples razão da justiça (que deve ser igual para todos) respeitar a lei para alguns e para outros deixar tudo na gaveta, sem respeitar os prazos legais.

Fonte: Por Lauro Jardim

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/judiciario/oab-da-tiro-de-canhao-contra-trafico-de-influencia-no-judiciario/
Postar um comentário